Passar para o Conteúdo Principal Top
Logotipo Município de Vale de Cambra
Hoje
Hoje
Amanhã
Amanhã

PR7- Canais de Rega de Burgães

AVISO_PercursoemManutencao

Informamos que este percurso pedestre está temporariamente indisponível. Devido à necessidade de manutenção, nomeadamente limpeza de vegetação e reposição de sinalética, recomendamos que NÃO percorra o PR. Pedimos desculpa pelo incomodo e agradecemos a melhor compreensão.

Com início na Praia Fluvial de Burgães, os primeiros metros deste percurso acompanham o rio Caima para montante, até subir a Malhô e apanhar a entrada no canal de rega n.º1. A partir deste ponto o percurso assume um traçado circular, desenvolvendo-se em terreno plano no sentido dos ponteiros do relógio. Usados para regar os campos no vale de Cambra, estes canais captavam a água do rio Caima junto ao Açude Moreira, transportando-a ao longo de vários quilometros!

Após 2 km neste impressionante canal de rega (n.º1), o percurso sai para a rotunda das regadas, sobe a Av. Dr. António Fonseca e entra no canal de rega n.º 2, desenvolvendo-se a uma cota ligeiramente superior ao canal anterior. Ao fim de 2,5 km neste engenhoso trilho, o percurso desce novamente ao canal n.º 1 para rapidamente regressar a Malhô e percorrer o caminho de regresso à Praia Fluvial.

Os Canais de Rega de Burgães

Cerca de 3 km a montante da Praia Fluvial de Burgães localiza-se o fontanário de Santa Cruz, que aproveitando as águas de um pequeno afluente do rio Caima, teve outrora um papel importante para o abastecimento da população local. Entre este fontanário e a Barragem Eng. Duarte Pacheco (Rôge), localiza-se o Açude Moreira, também conhecido como Barragem de Padrastos. A construção do açude Moreira, com 7 m de altura e 16 m de coroamento permitiu a regularização do caudal do rio Caima e a captação de água para abastecimento domiciliário de Vale de Cambra.
É também nesta barragem que tem origem uma parte da água que abastece a rede de rega de Burgães, que percorre mais de 20 km de campos em torno de Vale de Cambra. Este percurso pedestre, desenvolve-se numa parte da referida rede de rega, nomeadamente: Canal de Rega nº1: o canal de inferior (desenvolve-se a uma cota de 240 m), que atravessa Malhô, Burgães e Macinhata. Canal de Rega nº2: o canal superior (desenvolve-se a uma cota de 280 m), que atravessa a parte de cima de Macinhata e Búzio. A importância desta rede de rega era tal que existia um funcionário que trabalhava todos os dias nos canais de rega, a abrir e fechar comportas, e um horário que regulamentava os períodos em que os canais eram usados para usufruto dos vários proprietários.